Caju, um novo olhar

A Nissan e o atrevimento de ir além do esporte nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016

 

A Nissan, como patrocinadora dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, quer deixar para a cidade do Rio de Janeiro algo além do patrocínio ao megaevento. Compromissados em dar continuidade à transformação que o esporte pode proporcionar, foram estudadas diversas regiões e áreas de vulnerabilidade social do Rio de Janeiro a fim de deixar uma transformação social para a Cidade Maravilhosa. O grande desafio foi encontrado no bairro Caju, na zona portuária carioca. Neste local, nasce o projeto social “Caju, um novo olhar” focado em educação a jovens e adultos.
 
Ao mesmo tempo em que está há poucos minutos de áreas desenvolvidas e valorizadas, como o Centro da cidade e o Porto Maravilha, o bairro possui um dos menores IDH (índice de Desenvolvimento Humano) da cidade do Rio de Janeiro, segundo o IBGE. De acordo com pesquisas encomendadas pelo Instituto Nissan, foi evidenciada a necessidade de apoio educacional para os jovens da região, em especial para conclusão do ensino médio, capacitação profissional e inserção no mercado de trabalho.
 
Tendo como objetivo principal transformar vidas através da educação, o Instituto Nissan mergulhou de cabeça para tornar isso possível, junto a grandes parceiros que também acreditaram nesse sonho: a Fundação Gol de Letra, a Firjan e o Sebrae.
 
O projeto “Caju, um novo olhar” oferecerá cursos de apoio ao ensino fundamental, ensino médio, preparatório para o vestibular e cursos profissionalizantes certificadores a jovens adultos do bairro.
 
A Fundação Gol de Letra será a instituição parceira do projeto por estar presente no Caju há 10 anos e possuir uma equipe com grande expertise em educação e no relacionamento com a comunidade. Os cursos ocuparão o prédio intitulado “Ásia”, ao lado da sede da instituição. Com a chegada do projeto, cada espaço da Gol de Letra ganhou o nome de um continente, em alusão ao significado dos Aros Olímpicos.
 
A reforma do prédio, que será entregue no dia 6 de setembro, foi liderada por engenheiros da Nissan que também são voluntários do seu instituto, com base nos conceitos de acessibilidade e sustentabilidade da Nissan, também usados para construir a fábrica de Resende (RJ) – a planta mais verde da Nissan no mundo – e o Centro Municipal de Educação Infantil Parque das Águas – uma creche escola modelo construída pela fabricante em Resende. Algumas das características são aproveitamento de ventilação e iluminação natural, salas de aula adaptadas para receber pessoas com deficiência e a utilização de painéis solares, em parceria com as empresas EDF e EGPE, com capacidade de prover 100% da energia necessária para o funcionamento do prédio.
 
Alguns cursos terão início ainda este ano, porém a grande maioria irá acompanhar o calendário letivo, começando no primeiro semestre de 2017. O processo seletivo será conduzido pela Fundação Gol de Letra e terá a supervisão do Instituto Nissan, que fará o acompanhamento inicial durante 5 anos, período em que cerca de 6000 vidas serão transformadas.